Marketing Nutricional
blog

 

Entrevista - Patricia Ramos

Nutrição Hospitalar - Evolução e Melhorias do SND

 

Dra Patricia Ramos – nutricionista coordenadora do Serviço de Nutrição do Hospital Bandeirantes, especialista em Gestão Empresarial pela Universidade Bandeirante de São Paulo (UNIBAN)

 

MN: Como você vê o crescente mercado de restaurantes?

MN : O Mercado de Nutrição Hospitalar está sempre em crescimento, em sua opinião a que se deve este fator?

Patricia Ramos: O mercado da Nutrição Hospitalar tem acompanhado o crescimento e mudanças constantes da área da saúde. Nos últimos anos, o cliente aprimorou sua percepção em relação a serviços, além de ter mais acesso a informações médicas. A qualidade e segurança ao paciente também foram aprimoradas através das certificações de qualidade nacionais e internacionais (ONA, QMentum, JCI). Isto fez com que a Nutrição Hospitalar se aprimorasse, no sentido de melhoria dos seus processos assistenciais, segurança do paciente, controles internos, desenvolvimento da gastronomia hospitalar que está ligada diretamente a percepção do cliente em relação qualidade e humanização, novas tecnologias.

MN : O Como se pode avaliar a evolução da Gestão no SND nesses últimos 7 anos?

Patricia Ramos: Para acompanhar as mudanças no mercado da saúde, o Serviço de Nutrição, teve que evoluir não só nas questões assistenciais, mas também em relação a gestão da qualidade, gestão de pessoas e principalmente gestão de custos.

Alguns processos tornaram-se fundamentais para manter a qualidade e bom desempenho do setor, como:

 

  • Qualificação do fornecedor: onde garantimos a segurança da matéria prima adquirida


  • Maior interação com setor de compras para otimização dos acordos comerciais para manutenção dos custos;


  • Novas legislações – CVS 5/13: mais detalhadas e completas para garantir o controle sanitário;


  • Técnicas como o APPCC;


  • Gestão por indicadores: não conseguimos melhorar se não monitoramos o que fazemos, se não temos metas definidas, se não sabemos onde queremos chegar;



  • Gestão de custos efetiva: o serviço de nutrição hospitalar, assim como as instituições de saúde, acrescentaram na sua cultura a gestão através de orçamento. A gestão de orçamentos é antiguíssima na área de serviços e industria, mas na saúde foi implantada a pouco tempo. É uma pratica fundamental para a sustentabilidade das instituições.




  • Novas tecnologias: processos como o cook chill e sous vide. Equipamentos modernos como carros de distribuição de refeições com a parte quente e refrigerada para garantir a temperatura dos alimentos, um dos itens de percepção de qualidade do cliente.




  • Gestão de pessoas onde o líder é mais participativo. Atualmente existe uma dificuldade muito grande na contratação e manutenção de pessoas na área operacional da Nutrição. Com isto o líder precisa desenvolver estratégias para agregar a equipe e mantê-la sempre motivada.

 

MN : Com o SND bem organizado, um hospital  pode se tornar uma referência dentro do mercado hospitalar?

Patricia Ramos: Para um hospital tornar-se referencia e ser citados como melhores praticas dentro deste mercado, é necessário que os demais serviços assistenciais e apoio também se destaquem. Mas um Serviço de Nutrição bem organizado pode ser considerado referencia dentro da instituição e ser um ponto estratégico para atrair os clientes. Não só na questão alimentar, mas também ser referencia na questão assistencial, pois o paciente bem nutrido consegue uma resposta melhor ao tratamento, contribuindo na redução das complicações que podem acontecer durante uma internação, para que o paciente tenha alta dentro do previsto. Isto gera um aumento na confiança do cliente em relação a resolutibilidade dos serviços hospitalares em geral, fidelizando o cliente.

MN : Gerir o Setor de Nutrição de um hospital de forma profissional está relacionado com as atualizações periódicas do profissional em relação ao mercado de SND?

Patricia Ramos: Sim. Atualmente, o profissional que está a frente do Serviço de Nutrição precisa estar em constante atualização, e não só em relação a parte cientifica e assistenciais, mas precisa se atualizar em relação as ferramentas de gestão tanto de custos, qualidade e pessoas. O profissional precisa ter uma Visão Sistêmica. É necessário conhecer todos os processos hospitalares para saber onde os processos do Serviço de Nutrição podem gerar impacto.

MN : Entre a sua formação e o tempo de atuação no segmento hospitalar, o que mais viu e avaliou como evolução no que se refere a questão de cozinhas hospitalares?

Patricia Ramos: Já são 18 anos de formada sempre no segmento hospitalar, e durante este período pudemos observar uma valorização do Serviço de Nutrição: equipamentos modernos, como, por exemplo, o desenvolvimento de carros quente e frio para a distribuição das refeições, garantindo a temperatura e qualidade do alimento para os pacientes. Também novos processos como o cook chill e o sous vide para otimizar os processos de produção. As legislações também foram aprimoradas e atualmente, contamos com legislações que contemplam toda a prevenção do risco de uma infecção alimentar.

MN : De quanto em quanto tempo o mercado de SND percebe as reformulações e aplica as mudanças no mesmo em relação a parte de Gestão?

Patricia Ramos: Não existe uma periodicidade especifica. O Serviço de Nutrição precisa acompanhar as tendências do mercado hospitalar. Exemplo: a pirâmide populacional está invertendo sua base. Atualmente, existe o crescimento da população idosa, com isto as instituições hospitalares terão que se atualizar nas praticas de cuidados aos idosos, em estrutura física ( apartamentos adaptados para utilização dos idosos, colocando barras de apoio nas paredes, piso antiderrapante, pois os idosos tem um índice maior de queda), e com isto a nutrição também terá que se atualizar, com cardápios próprios para os idosos, avaliação nutricional especifica entre outros.

MN : O mercado de Nutrição Hospitalar é muito desejado profissionalmente, qual a sua dica para quem quer atuar nele?

Patricia Ramos: A área da saúde vive em constante evolução, com isto o profissional deve manter-se atualizado com cursos de pós graduação e pequenos cursos como congressos e simpósios. Porém, o profissional também deve ser polivalente. Normalmente, o nutricionista especializa-se em "Nutrição Clinica" com o objetivo de trabalhar na área hospitalar e esquece que hospital é muito mais amplo. Existe a gestão de pessoas, gestão de custos, controles sanitários, gestão da qualidade. Então, muitas vezes compensa a contratação de um profissional que possui "jogo de cintura" e sabe intervir em todas as situações do que um muito especializado.

MN : Várias entidades hospitalares passaram por reformulação, até mesmo sendo adquiridas por outros grupos hospitalares, este fato ajudou o mercado e o setor de Nutrição e Dietética? E com isso há uma melhora na parte da Gestão?

Patricia Ramos: Em algumas situações sim, pois muitas dessas aquisições fizeram com que instituições com uma gestão familiar fossem profissionalizadas. Isto fez com que a gestão hospitalar e, consequentemente, do Serviço de Nutrição fosse aprimorada, trabalhando com gestão por orçamentos, indicadores, elaboração de planejamento estratégico.

MN : Como você acha que os profissionais devem ou podem se programarem para que o setor de Nutrição Hospitalar possa estar se reunindo para rever e atualizar sobre a questão da evolução do SND?

Patricia Ramos: Seria importante montar um grupo de nutricionistas que atuem na gestão hospitalar para discussão de novos processos, controles, indicadores. Atualmente existe o GENELAC que é focado no lactário, mas realmente não existe um grupo focado em gestão e existem profissionais fortes no mercado para liderar este grupo.

MN: Como acha que o mercado deve se programar , se preparar e assim projetar uma evolução mais ampla do SND para os próximos 2 anos?

Patricia Ramos: Atualmente, nas grandes metrópoles, existe um grande problema com espaço físico. As instituições precisam crescer, criar mais leitos para aumento de faturamento. Porém, a parte física é limitada, então devemos nos preparar para trabalharmos com uma área física mais enxuta, investindo em tecnologia e novos processos para manter a qualidade da refeição e serviços prestados.



 

BLOG

Dra. Patricia Ramos

Dra Patricia Ramos – nutricionista coordenadora do Serviço de Nutrição do Hospital Bandeirantes, especialista em Gestão Empresarial pela Universidade Bandeirante de São Paulo (UNIBAN)

JORNAL ELETRÔNICO

banner

Fornecedores

banner

MERCADO PROFISSIONAL

banner

BLOG DOS PROFISSIONAIS

banner

ENTREVISTA

banner

Emprego

Notícias do Setor de Alimentação. Cadastre-se!