EM FOCO Food Service - Oferecimento:

emfoco
Facebook LinkedIn Twitter Google+ WhatsApp Email

Defenda o seu restaurante com um bom ataque

Você nunca deseja receber uma reclamação do seu restaurante. Mesmo assim, isso é algo que precisa ser tratado. Há boas maneiras de lidar com isso, mas também existem maneiras ruins (como as respostas excessivamente emocionais e muito públicas dadas por alguns proprietários e gerentes de restaurantes).

Por Redação MN

blog

Se for uma queixa ao vivo dentro do restaurante ou on-line depois que seus clientes tenham deixado o local, o importante é ficar atento à situação em tempo hábil. Quem deve ser responsável por isso? O restaurante é o seu “xodó” e você quer com certeza  que todos que entram através de suas portas tenham uma experiência maravilhosa, mas nem sempre é fácil conseguir esta situação.

PREPARANDO A DEFESA

As experiências negativas em seu restaurante nem sempre são devido a uma falta de qualidade em sua comida ou serviço. Às vezes as pessoas querem mesmo é reclamar ou apenas as suas expectativas não foram devidamente ajustado antes  delas chegaram em seu restaurante. Tomemos, por exemplo, essa situação:

Sua equipe recebe uma queixa de que sua comida não foi preparada da maneira que o cliente esperava. Eles são de outra parte do país (ou de fora do país) e esta preparação especial não ficou do seu agrado. Bem, isso não é realmente um problema, certo? Isso é apenas uma questão de gosto e práticas regionais ... Eles devem ler o menu mais claramente ... Eles devem ser mais abertos a experimentar novos alimentos quando se viaja ... Certo? Você pode imaginar muitas razões por que este cliente está errado. Você ignorar o pedido de desculpas e, em vez disso optar por defender o seu restaurante, uma vez que esta é a maneira como o restaurante funciona.

Mas isso não é a forma correta. Você não pode lutar contra os sentimentos ou opiniões de seus clientes devido à experiência que eles recebem em seu restaurante, desde que eles estejam agindo de forma razoável. No entanto, ninguém pode esperar que o proprietário ou responsável pelo restaurante deva mudar algo para cada queixa individual referente ao seu restaurante, especialmente se não é realmente relevante para o produto ou para a experiência que você está oferecendo. Demanda um grande equilíbrio emocional.

TRABALHO DA OFENSA

Defender o restaurante em face de um cliente insatisfeito não é a melhor atitude a se  tomar. Em vez disso, confiar nas pessoas que trabalham "nas trincheiras" (por assim dizer) para servir como sua voz nestas instâncias.

- Estabelecer um sistema de acompanhamento adequado, tanto no restaurante como on-line.  Afinal, você quer ter certeza de que você tem todas as suas bases cobertas para capturar o cliente insatisfeito, antes que seja tarde demais.

- Oferecer treinamento regular para a gestão sobre como estar preparado para uma reclamação do cliente e como manter a equipe preparada para não se incomodar com isso. Mantendo-se fora da situação é um bom primeiro passo, mas apenas se as pessoas que falam em nome do restaurante conseguirem manter a calma sob pressão.

- Certifique-se de sua equipe de linha de frente (e talvez até mesmo seus chefs, se eles têm o hábito de falar com os clientes) são totalmente treinados em métodos de recuperação adequada do cliente.

- Quando se trata de manter a presença do restaurante on-line, contratar um especialista em atendimento ao cliente exclusivamente dedicado a impulsionar a sua marca e lidar com quaisquer comentários, reclamações, ou algum feedback que venha.

Lembre-se: nem toda reclamação pode ser um verdadeiro retorno  que você possa usar para melhorar e crescer o seu restaurante, mas todas devem ser abordadas. Só não precisa ser você para lidar com todas elas.

O que você deve fazer, no entanto, é se certificar de que você tenha um alcance sobre o que está sendo dito sobre seu restaurante. Mantenha-se atualizado sobre o feedback que vem em de seus gerentes, sua equipe, e on-line. Se você começar a perceber as tendências relacionadas ao mau serviço ou a um determinado membro de sua equipe, então você poderá tomar medidas que poderá afetar a longo prazo uma real mudança e melhoria no seu restaurante. Nesse meio tempo, a confiança em sua equipe pode tirar o peso da responsabilidade em lidar com seus clientes profissionalmente, oportuna, e sinceramente.

 

Até a próxima edição!

 

Estamos com você, trazendo novidades, informações e notícias para o seu planejamento, para sua atualização e reciclagem, trazendo as tendências, os melhores fornecedores, as legislações sanitárias, as feiras, congressos e cursos do setor, conectando você ao Mercado de Alimentação. Acompanhe-nos e compartilhe.

Publicidade

banner
Atualidade

Os 50 melhores restaurantes do mundo em 2018

Entre os eleitos, um brasileiro aparece no ranking The World's 50 Best Restaurants 2018

Por Daniela Barbosa

emfoco

Imagem divulgação - (Osteria Francescana/Reprodução)

O D.O.M., do chef Alex Atala, é o único brasileiro que aparece no ranking dos melhores restaurantes do mundo 2018 (The World's 50 Best Restaurants 2018), organizado pela William Reed Business Media e divulgado em Bilbau, na Espanha.

No topo da lista, a Osteria Francescana, em Modena, na Itália, pela segunda vez em três anos conquistou o título de melhor restaurante do mundo. O restaurante é comandado pelo chef Massimo Bottura. A lista deste ano inclui restaurantes de 23 países, dos 50 eleitos melhores do mundo, nove aparecem pela primeira vez no ranking e outros seis retornam após ficarem de fora de edições anteriores.

A Espanha possui sete restaurantes na lista, sendo três deles entre os dez primeiros colocados. Os Estados Unidos vêm em seguida com seis restaurantes presentes na seleção, inclusive o Eleven Madison Park, em Nova York, que ganhou como melhor do mundo em 2017.
A lista The World’s 50 Best Restaurants é julgada de forma independente pela consultoria Deloitte. Para chegar aos nomes dos 50 melhores, uma seleção criteriosa é feita com a ajuda de mais de 1.000 chefs de diferentes nacionalidades, além de críticos gastronômicos e outros especialistas no assunto.

Confira a seguir o ranking dos 50 melhores restaurantes do mundo:

Posição

Restaurante

Localização

1

Osteria Francescana

Modena, Itália

2

El Celler de Can Roca

Girona, Espanha

3

Mirazur

Menton, França

4

Eleven Madison Park

Nova York, Estados Unidos

5

Gaggan

Bangkok, Tailândia

6

Central

Lima, Peru

7

Maido

Lima, Peru

8

Arpège

Paris, França

9

Mugaritz

San Sebastian, Espanha

10

Asador Etxebarri

Axpe, Espanha

11

Quintonil

Cidade do México, México

12

Blue Hill at Stone Barns

Pocantico Hills, Estados Unidos

13

Pujol

Cidade do México, México

14

Steirereck

Viena, Áustria

15

White Rabbit

Moscou, Rússia

16

Piazza Duomo

Alba, Itália

17

Den

Tóquio, Japão

18

Disfrutar

Barcelona, Espanha

19

Geranium

Copenhague, Dinamarca

20

Attica

Melbourne, Austrália

21

Alain Ducasse au Plaza Athénée

Paris, França

22

Narisawa

Tóquio, Japão

23

Le Calandre

Rubano, Itália

24

Ultraviolet by Paul Pairet

Xangai, China

25

Cosme

Nova York, Estados Unidos

26

Le Bernardin

Nova York, Estados Unidos

27

Boragó

Santiago, Chile

28

Odette

Singapura

29

Alléno Paris au Pavillon Ledoyen

Paris, França

30

D.O.M.

São Paulo, Brasil

31

Arzak

San Sebastian, Espanha

32

Tickets

Barcelona, Espanha

33

The Clove Club

Londres, Inglaterra

34

Alinea

Chicago, Estados Unidos

35

Maaemo

Oslo, Noruega

36

Reale

Castel di Sangro, Itália

37

Restaurant Tim Raue

Berlim, Alemanha

38

Lyle’s

Londres, Inglaterra

39

Astrid y Gastón

Lima, Peru

40

Septime

Paris, França

41

Nihonryori RyuGin

Tóquio, Japão

42

The Ledbury

Londres, Inglaterra

43

Azurmendi

Larrabetzu, Espanha

44

Mikla

Istambul, Turquia

45

Dinner by Heston Blumenthal

Londres, Inglaterra

46

Saison

São Francisco, Estados Unidos

47

Schloss Schauenstein

Fürsdtenau, Suíça

48

Hiša Franko

Kobarid, Eslovênia

49

Nahm

Bangkok, Tailândia

50

The Test Kitchen

Cidade do Cabo, África do Sul

 

 

Publicidade

FOOD SERVICE

Palestra sobre Modelos de Cafés na Arena À la Carte

Por Redação MN

descrição da imagem

Imagem divulgação - (José Aurélio Claro Lopes - Marketing Nutricional)


Na Arena À la Carte da feira FISPAL Food Service 2018, o consultor José Aurélio Claro Lopes - Diretor na Precx Consultoria em Alimentação Ltda e Associado sênior do FCSI mostrou em sua palestra a importância dos projetos estarem direcionados em trazer sensações diferenciadas para quem esta frequentando o estabelecimento.

Falando inclusive sobre a questão do serviço ágil com uma menor interação do Cliente e Funcionários do restaurante ou café, fazendo assim praticamente um sistema de auto-serviço onde o cliente pode ter melhor proveito das experiências para quem busca se alimentar no food service e quer aproveitar e desfrutar do serviço.

Desta forma se torna essencial analisar o projeto alinhando assim a comunicação com o público que o Café ou Restaurante pretendem alcançar para o seu Negócio.

 

banner

CARREIRA

NUTRICIONISTA NA ÁREA OFFSHORE

emfoco

Imagem: ilustrativa

Por Marcia Yakabe

O serviço de hotelaria marítima tem crescido e a função de comissário, que era exercido por profissional sem formação na área de nutrição, mudou. Hoje muitos empregos solicitam que o serviço seja executado pela nutricionista principalmente em função dos DTAs (doenças transmitidas por alimentos) ocorridas nas plataformas ou navios ao longo dos anos.

Nesse serviço a nutricionista além de exercer a função de nutricionista de UAN (unidade de alimentação e nutrição) é também responsável pelo serviço de hotelaria. Para uma atuação de excelência é necessário utilizar ferramentas eficazes na gestão de pessoas e processos e conhecer o ambiente e suas especificidades para escolher a melhor maneira de gerenciar e atender as expectativas dos clientes. Nesse serviço existem muitos desafios a serem vencidos diariamente devido ao confinamento ocasionado pela distância das Unidades para o litoral e dificuldade de acesso que é feito através de aeronaves e/ou embarcações e das condições climáticas, por exemplo, o mal tempo pode impedir o embarque do contêiner de alimentos.

Essa complexidade do serviço de hotelaria marítima se deve a dois espaços distintos (onshore e offshore), com a necessidade de um controle rigoroso da quantidade e qualidade do material a ser utilizado.

Os nutricionistas com isso desempenham um papel fundamental na manutenção da qualidade das refeições produzidas, na execução de um bom serviço de hotelaria e do bem-estar e a saúde dos trabalhadores, que permanecem por muito tempo em um ambiente confinado.

emfoco

Marcia Yakabe - Nutricionista graduada pela Universidade de São Paulo (USP), Pós-graduada em Nutrição Humana e Auditora interna da IS0 22000, Acreditação Hospitalar e APPCC. Já atuou como fiscal de contratos de alimentação na área offshore e onshore. Atualmente trabalha como nutricionista offshore na empresa M.R. Alimentação e presta serviços de consultoria em serviços de alimentação.
Contato: marciayakabe@gmail.com.

Reforma Trabalhista - O que muda para o funcionário

descrição da imagem

Por Advogada Mikaela Santos

 

• FÉRIAS: estabelece nossa atual legislação que será possível fracionar as férias em até três períodos. Cumpre salientar que antigamente, podíamos somente em casos excepcionais fracionar as férias, nesse caso em dois períodos, sendo que um não podia ser inferior a 10 dias.

Vamos adentrar no ponto reformado desse instituto, o fracionamento do período de 30 dias, esclarecendo que a decisão de fracionar cabe ao empregado, não da empresa! Insta frisar que quem define o momento em que poderá ser desfrutado esse período continua sendo da Empresa, mas o fracionamento deverá ocorrer dentro dos 12 meses de concessão das férias, o não cumprimento acarreta multa a empresa.

Importante nesse ponto que as empresas passem a obter declaração de vontade do empregado em relação ao fracionamento, o desejo de fracionar e fixar dentro do referido período a concessão. Outros sim foi a novidade das férias terem inicio com 3 dias de antecedência com relação a feriados e finais de semana.

Não podemos nos exaltar com essa mudança, mas podemos dizer que o fracionamento vai depender da expressa vontade do Empregado, que deverá analisar a melhor opção de descansar.

• JORNADA DE TRABALHO: uma reforma considerável versa sobre a Jornada de Trabalho, na qual o Empregado e Empregador poderão negociar, através de Acordos Coletivos, a forma que serão executadas suas jornadas, respeitando os horários já determinados em Lei, ou seja, 220 horas mensais ou 48 horas semanais, com inclusão de 4 horas semanais.

Embora assuste falar em acordo entre as partes, em um polo tão desproporcional, podemos perceber uma flexibilização em adequar da maneira mais vantajosa ao empregado, senão vejamos: O Empregado pode trabalhar 48 horas na semana, dentre as possibilidades possíveis, este poderá trabalhar 12 horas em alguns dias da semana e após cumprir suas 48 horas, folga nos dias subsequentes na semana.

Não há que se falar em temor diante das situações apresentadas ou em relação a Lei – CLT vigente em nosso ordenamento Jurídico, mas sim em adaptação; Tudo que seja novo, assusta, causa dúvidas, discórdia, interpretações, e enfim opiniões. Estas últimas em alto e bom tom são as mais pecaminosas, pois temos de um lado, quem defende o Empregado e do outro o Empregador, e nesse impasse os mais sensatos examinam de forma imparcial, e, por fim, aplicam da melhor maneira o Direito, independente do lado que defendem.

1 – Medida Provisória: (MP) é um ato unipessoal do presidente da República, com força imediata de lei, sem a participação do Poder Legislativo, que somente será chamado a discuti-la e aprová-la em momento posterior. O pressuposto da MP, de acordo com o artigo 62 da Constituição Federal é urgência e relevância, cumulativamente.

emfoco

Mikaela Santos – Advogada
Inscrita no quadro da OAB/SP 385.257

Leitores do EM FOCO Food Service tem Desconto!

Reforma Trabalhista

Por que você precisa saber o que muda com ela?

 

 

Fale com a Advogada

 

Mais Conteúdo, Notícia e Informação

Por Juliana Rosa - Nutricionista

descrição da imagem

5 Meeting de Nutrição Estética 2018

Nos dias 18 e 19 de maio aconteceu o 5º Meeting Brasileiro de Nutrição Estética. Neste ano o tema foi “Nutrição Clínica Estética: Equilíbrio in & out”. Com a presença de especialistas apresentando o que há de mais atual sobre equilíbrio In & Out, com aulas focadas nos cuidados em estética de dentro para fora e ajudar no cuidado da pele nos principais tratamentos estéticos corporais e cirúrgicos.

Acompanhamento nutricional com profissional habilitado pode ser um investimento com outro. Tem como principal objetivo otimizar os resultados estéticos, como prevenção ou reestruturação de  desordens estéticas, sobretudo encontrar as defasagens e equilibrá-las com presença de alimentos adequados e suplementação coerente.

As desordens estéticas mais procuradas por profissionais incluem cuidados com a celulite, acne, queda de cabelo e unhas enfraquecidas.

Destaque deste ano foi a presença de temas inéditos. Começo falando sobre palestras direcionadas a apresentar estratégias nutricionais em doenças teciduais, na visão teórica e prática. Cada vez mais comum o aparecimento de dermatite e alergias por agentes externos e alimentares, bem como necessidades da acuidade visual com cuidados com a pele, o maior órgão do corpo humano.

A Dra. Ana Paula Pujol apresentou o tema “Periodização nutricional nas cirurgias plásticas estéticas”, e dividiu um pouco da sua vasta experiência com protocolos nutricionais antes, durante e após 365 dias do evento cirúrgico.

 

 

emfoco

Juliana Rosa - Nutricionista - Atende em consultório e Personal Diet com foco na área esportiva. Presta consultoria para empresas de alimentos e Colunista em revista especializada na área esportiva e mkt nutricional. - Colunista do BLOG DOS PROFISSIONAIS - Marketing Nutricional

 

Informe Publicitário

banner

BELGIAN WAFFLE & PANCAKE MIX

  • Produto inovador com sabor diferenciado no mercado.

  • Fácil de preparar, necessitando apenas adicionar água.

  • Versátil, podendo ser preparado em forma de waffles ou formato de panquecas.

  • Produto assume uma característica crocante e dourada após assado.

banner

Entre em contato conosco, que tal batermos um papo sem compromisso?

Quero entrar em contato

Economia


5 dicas para uma boa negociação com fornecedores 

emfoco

Imagem: ilustrativa

Para ter força competitiva no mercado, driblar a concorrência e, principalmente, manter a lucratividade da empresa, ter uma boa negociação com fornecedores é essencial. Inclusive, esse é um fator indispensável no mundo dos negócios, já que, a partir das propostas analisadas, é possível ver o que atende melhor às suas necessidades. Sabemos que a habilidade de conduzir uma boa negociação depende de algumas táticas e estratégias, por isso, reunimos cinco dicas que podem ajudar. Continue a leitura e confira quais são elas!

 1. Construa um relacionamento em longo prazo

Uma relação que beneficia tanto o fornecedor quanto o cliente tem como base a confiança. Aliás, um dos motivos que fazem com que a negociação com fornecedores seja vantajosa para ambos os lados é o bom relacionamento, que permite a troca de informações e torna tudo mais confortável. Cabe frisar também que, muitas vezes, a relação com um fornecedor não se baseia em uma única transação. Logo, trabalhar o relacionamento é facilitar a negociação.

 2. Trace boas estratégias

Tenha em mente que fazer uma boa negociação com fornecedores não é o mesmo que pedir insistentemente por descontos ou ter facilidades na hora de pagar. Nesse momento, criar uma boa estratégia é a chave para o sucesso. A partir do momento que você se planeja para a conversa com o fornecedor, é possível definir a melhor abordagem e agir com coerência, sempre com foco no seu objetivo final.

 3. Saiba aproveitar as oportunidades

Aproveitar épocas sazonais para conseguir um bom preço é uma ótima dica. Alguns artigos têm busca maior em determinados momentos do ano. Então, quando eles estiverem com preços mais baixos e com pouca procura, é a sua chance de comprar uma boa quantidade para estocar. Os chás e as sopas, por exemplo, costumam ficar em alta durante o inverno, mas são deixados um pouco de lado nas estações mais quentes do ano. Sabendo disso, é possível que o fornecedor melhore o preço desses produtos para você.

4. Busque benefícios mútuos na negociação com fornecedores

Em qualquer negociação, é normal que as partes envolvidas façam concessões para que todos saiam ganhando. Com os fornecedores não é diferente. É preciso ser franco e objetivo ao tentar unir os interesses, sejam eles referentes ao prazo de entrega, preços ou questões de contrato. Tente ao máximo fazer com que ambos os lados fiquem satisfeitos, de um jeito natural. Forçar a situação pode ser completamente desagradável e acabar com a relação entre empresa e fornecedor.

5. Pesquise muito antes de fechar uma compra

ATer informações relevantes sobre os produtos e serviços que pretende contratar é uma ótima estratégia para fazer boas negociações. Muitas decisões ruins são tomadas quando há falta de conhecimento. Por isso que é tão importante pesquisar as possibilidades, preços de mercado, modo como a concorrência atua e demais detalhes que podem ajudar a fechar uma compra.

Se mesmo com todas as informações e argumentos não for possível criar um acordo, procure um fornecedor que esteja disposto a conversar. Afinal, você tem muitas possibilidades, e precisa escolher aquela que seja saudável para o seu negócio.

Como vimos, uma boa negociação com fornecedores gera vários benefícios para a empresa. Além das questões financeiras, um acordo bem conduzido também pode ser interessante para diminuir prazos de entregas, receber brindes, e o mais importante: construir uma relação de confiança.


Fonte: EXAL

Publicidade

Custos Ocultos

Por Suzana Pires Silva

descrição da imagem

Os custos da má qualidade

A Unidade de Alimentação e Nutrição está longe de ser entendida apenas como local apropriado para que se obtenha a manipulação adequada de alimentos. A UAN envolve um complexo sistema operacional, com procedimentos que devem ser tão padronizados, claros e precisos de maneira tal, que todos os operadores esteja alinhados ao serviço.

Durante muito tempo acreditou-se que oferecer produtos e serviços de qualidade encareceria o processo produtivo e esse pensamento impediu que a produção atingisse todo seu potencial.

Na Unidade de serviço de Alimentação, quando pensa em reduzir custos compara-se com a diminuição da qualidade dos gêneros e mão de obra.

Com o surgimento do código de defesa do consumidor e da concorrência acirrada, houve um aumento da exigência do consumidor, logo, veio a ideia de oferecer produto e serviço de qualidade, o que não significa que encareceria, ao contrário, ás vezes é mais barato, pois ao se resolver problemas de qualidade se reduzem os custos e se administram melhor prazos.

Sabe-se que frequentemente estamos diante de decisões que causam impacto imediato, muitas vezes sobre nosso cliente, essas decisões podem repercutir por muito tempo no próprio serviço.

No entanto, se quisermos futuros serviços, devemos entender e satisfazer a expectativa do cliente, assegurando a qualidade e prazo determinado, sem contar na economia que todo esse projeto favorece.

Os custos muitas vezes estão ocultos, por isso devemos estar atentos aos detalhes, certamente irão representar de forma dinâmica aonde devemos corrigir.

A má qualidade gera uma série de custos, isso inclui o custo da não prevenção, não avaliação, custo de erros anteriores à entrega do produto do cliente, custo da má qualidade dos equipamentos, dentre outros. Esses custos podem ser muito superiores dos que garantem a qualidade, inclusive podem gerar insatisfação do cliente e a perda da reputação da empresa.

Em busca de aprimorar o serviço na Unidade de Alimentação e evitar que se perca tempo, qualidade e dinheiro. Devemos implantar sistemas de análise, prevenção e avaliação. A seguir estão algumas dicas:

Desenvolvimento de fluxograma de processos;

Desenvolvimento de plano de controle de qualidade de processos;

Formação relacionada com a qualidade de treinamento sistemático;

Implantação de processos de melhoria contínua;

Evitar erros e que os mesmos se repitam com frequência;

Realizar auditorias de garantia de qualidade;

Realizar auditorias financeiras;

Realizar inspeção para determinar a conformidade dos produtos;

Apresentar o conceito de custos da má qualidade à alta direção;

descrição da imagem

Imagem - ilustrativa

emfoco


Dra Suzana Pires - Nutricionista Analista em Segurança de Alimentos e Docente em Nutrição

Textos adaptados dos Livros de Gestão de Unidade de Alimentação e Guia prático de Gerenciamento de Unidade de Alimentação. Fonte arquivo pessoal.

Mais Conteúdo, Notícia e Informação

Sete robôs comandam a cozinha de um novo restaurante em Boston

Com menu focado em vegetais, Spyce foi criado por quatro estudantes de engenharia do MIT com consultoria do chef Daniel Boulud

Por Peter Holley De Boston, EUA Washington Post

descrição da imagem

Prato preparado por um chef robô (Spyce/Divulgação)

Um novo restaurante no centro de Boston foi criado com base na ideia de que uma boa refeição pode envolver mais ciência do que inspiração. No Spyce, fundado por um grupo de jovens estudantes de engenharia robótica do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) em conjunto com o chef Daniel Boulud (do estrelado Daniel, em Nova York), sete robôs trabalham simultaneamente para fazer pratos em três minutos ou menos. 

O restaurante, pensado para refeições rápidas durante a semana, serve tigelas com diferentes combinações de grãos, legumes, verduras e frango grelhado. Daniel Boulud é o diretor culinário e atuou como consultor do cardápio e do treinamento da equipe. "Uma cozinha totalmente automatizada dá precisão, consistência e regularidade às refeições", diz ele no vídeo oficial do restaurante.  

descrição da imagem

Foto: Spyce

Um dos fundadores, Michael Farid, 26 anos, explica o processo: “Quando você faz o pedido (em uma tela touchscreen), é acionado um sistema de coleta dos ingredientes que são tirados do congelador. Eles são fracionados de modo a se adequar ao tamanho do bowl e depois são jogados em uma panela wok robótica aquecida a 230°C, onde são cozidos e grelhados. Uma vez completo o processo, as woks se inclinam e colocam a comida na tigela. E o prato está pronto para ser guarnecido e servido, e o nome do cliente aparece num painel eletrônico". Terminada a refeição, jatos de água quente lavam as woks antes de ali serem colocados novos ingredientes.

Farid diz que chefs-robôs foram deixados à mostra para que não haja nenhum mistério. “Não quisemos criar uma caixa preta que cozinha uma refeição. Nosso desejo é que a experiência seja empolgante”.

Mas há sim pessoas envolvidas no preparo das comidas. Logo na entrada do restaurante, um "anfitrião" ajuda o cliente a fazer o pedido. Também são pessoas que pré-preparam as refeições da noite para o dia. E um garde manger - chef responsável pelos pratos frios e pela finalização dos pratos em uma cozinha francesa tradicional - arremata cada pedido com guarnições frescas, como ervas e cremes. 

O slogan do restaurante é: “Excelência culinária exaltada pela tecnologia”.  É um lema que o setor de restauração começa a adotar, dizem especialistas. Restaurantes americanos estão cada vez mais incorporando tecnologia automatizada, como no caso dos “pedidos por auto-atendimento” e os “garçons robôs”, segundo um estudo do McKinsey Global Institute.  De acordo com a pesquisa, "73% das atividades no campo da restauração e hotelaria têm potencial para serem automatizadas”.

Para Farid, os robôs aumentam a eficiência e reduzem os custos operacionais. “Nosso restaurante é eficiente porque foca naquilo que as pessoas são boas, mas os robôs realizam um grande volume de tarefas, como cozinhar e lavar, e nisso eles são bons. No final, nosso produto não é uma tecnologia de produto, mas uma experiência e uma refeição deliciosa”, diz ele.

Fonte: Paladar Estadão

Publicidade

Fornecedor

Ferramenta online ajuda o Setor de Alimentação a encontrar melhores Fornecedores e Serviços

emfoco

 

OFFe é uma ferramenta online desenvolvida para conectar indústrias e empresas do Setor de Alimentação e afins.

Com base nas informações dos usuários, o OFFe identifica oportunidades de negociações, conectando as empresas diretamente. Assim, as comercializações ocorrem com transparência e agilidade.

Solução desenvolvida para que Restaurantes Comerciais, Cozinhas Industriais, Cozinhas de Hospitais, Restaurantes de Hotéis, Padarias, Lanchonetes, Redes de Fast Food entre outros Serviços de Alimentação possam ser beneficiados na questão Compra e Qualidade que só o bom Fornecedor pode oferecer.

Produto, Qualidade e Preço para o Decisor de Compra do Mercado de Alimentação através do OFFe Marketing Nutricional!

Produto e Qualidade

Entre em contato conosco, que tal batermos um papo sem compromisso?

Conheça o OFFe e veja como ele pode te ajudar

blog

 

Marketing

Nova parceira Bom Sabor e a Sterna

descrição da imagem

Nova parceira Bom Sabor e a Sterna! parceria que aperfeiçoa ainda mais a excelência dos nossos produtos em formatos de sachês personalizados, sempre agregando o know-how a excelência e o empreendedorismo da Sterna Café, única rede de cafeterias homologada pela ABF que trabalha 100% com cafés especiais.

Beija-flor & Sterna; duas aves distintas que dividem o mesmo ecossistema, agregando cada qual a sua importância na natureza.

Bom Sabor e Sterna, nova parceria que a Bom Sabor tem o orgulho de apresentar a todos os nosso consumidores, clientes e admiradores da marca.

 

descrição da imagem

Saiba mais em: www.bomsabor.com.br

Fonte: Bom Sabor

descrição da imagem

Como ter Qualidade, um Bom Produto e manter um Preço justo para o Cliente?

Por Alexandre Silva Rosa - Supervisor de Qualidade no Madero

A EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO ao cliente é um dos maiores diferenciais competitivos do mercado e o fator principal para o crescimento das vendas e a evolução das empresas. 

Não há nenhuma empresa que prospere e conquiste um mercado cada vez mais competitivo sem CLIENTES SATISFEITOS. Ainda assim, organizações de todos os portes esquecem a importância de um atendimento de excelência...

O bom atendimento encarece o custo de seu produto? Para exemplificar esta questão temos o sorriso.

O sorriso é a forma de comunicação mais poderosa do Mundo. O sorriso transmite uma sensação de acolhimento e simpatia sendo estas também as sensações que transmitem ao cliente uma postura de abertura, que fará com que se sintam bem naquele ambiente; Este é o primeiro passo para um bom atendimento. “Quanto custa sorrir? Não custa nada. Quanto custa não sorrir? Tudo, se isso prejudicar a sua relação com as pessoas. Enquanto o nosso sorriso passa uma mensagem clara sobre o nosso estado de espírito, quando não sorrimos criamos uma abertura para inúmeras interpretações, incluindo o mau humor, a indiferença e a raiva; Nenhuma dessas características o ajudará a encantar as pessoas”

Ressalto que a maneira como uma empresa atende o seu Cliente pode ser a diferença entre obter sucesso ou fracassar. Preço competitivo e produtos de qualidade apenas, já não são mais suficientes para conquistar a preferência da clientela.

Você já parou pra pensar no que é EXPERIÊNCIA DO CLIENTE e como a está proporcionando? O que o cliente espera? Quais são as alternativas a seu produto/serviço? O que sua concorrência oferece? Quais são as razões e diferenciais pelas quais o cliente está comprando?

O cliente quer ter a sensação de conforto, conveniência, praticidade e satisfação quando compra um produto ou serviço da sua empresa. No caso de restaurantes, é uma combinação de vários fatores como o AMBIENTE (envolvendo decoração, arquitetura, som ambiente, temperatura, limpeza e organização), ATENDIMENTO (a competência profissional, a eficiência, o entusiasmo, a polidez, a rapidez e a simpatia de quem atende), PRODUTO (de nada adianta ter um ótimo ambiente e um excelente atendimento se não possui um produto de qualidade), MANUTENÇÃO (a preocupação em manter todas as instalações e equipamentos 100%), FIDELIZAÇÃO (experiências impressionantes são sempre positivas. Impressionante por definição significa inspirado por aquilo que é grande ou sublime. Criar experiências positivas irá garantir que o seu público sempre queira revivê-las).

O cliente quer suas necessidades e suas expectativas superadas e ENCANTÁ-LO requer uma preparação e antecipação dos problemas dos clientes.

Para que isso tenha efeito, os processos e procedimentos da empresa devem estar muito bem desenhados e alinhados com toda a equipe. Dentro de uma conjuntura social bastante exigente, é fundamental o INVESTIMENTO em treinamento e acompanhamento das equipes, e são cruciais para que os processos e procedimentos sejam seguidos à risca. Da mesma forma deve ser dinâmico, em constante atualização e evolução. O sucesso está na atenção aos DETALHES.

Vale ressaltar que hoje em dia muitos empresários ainda pensam que treinar e capacitar seus colaboradores é um custo a mais e não um investimento. Alguns até pensam que é uma perda de tempo e dinheiro.

É importante entender que satisfação e qualidade são coisas diferentes. Satisfação tem um sentido mais amplo: ela é mais inclusiva e é influenciada pelas percepções da qualidade do serviço ou produto, pelo preço, gosto pessoal, entre outros. Qualidade se restringe às dimensões do produto e serviço propriamente ditos, além de se relacionar à perspectivas como confiabilidade, segurança, empatia e tangibilidade.

Nos dias de hoje as pessoas compram soluções e principalmente EXPERIÊNCIAS, e para vender boas soluções e experiências é preciso apresentar o valor do seu produto de forma clara e perceptível. O preço é balizado pela percepção de valor e não pelo produto em si. Assim, mesmo que o preço seja relativamente alto, o seu consumidor vai entender o porque de ser tornar um cliente e vai analisar melhor se o orçamento disponível se adequar ao que você está oferecendo.

E o preço baixo? Ainda que seja um fator que atrai efetivamente consumidores, pode ser uma prática que prejudica a organização em longo prazo dependendo da forma como é aplicada. Manter preços baixos sem um VOLUME DE VENDAS que sustente essa estratégia pode levar as empresas a ter prejuízos e até mesmo chegar à falência.

O preço é uma variável crítica em qualquer estratégia, requer uma análise detalhada do mercado, demanda, concorrência, custos de seu produto/serviço; de uma estratégia de preço que posicione a marca em um determinado segmento, que se materialize em uma política de preços operativa que por sua vez se articule com o desenvolvimento de um plano de ação coerente e em linha com a estratégia de marketing.

Ter qualidade, um bom produto e ter um preço justo é um grande desafio para a maioria das organizações, mas posso garantir que não há segredo. O 1º passo é ter um atendimento de excelência, um ambiente impecável e um ótimo produto, tendo estes 3 pilares alinhados é o momento de focar em treinamento e capacitação. Faça sempre mais e melhor e tenha os consumidores sempre com você, em qualquer momento. O principal é você saber que o atendimento e a experiência do cliente andam lado a lado na construção de uma companhia sólida, com boa reputação, que tenha consumidores fiéis, felizes com todos os serviços ou produtos e, muito mais do que isso, que tenha os funcionários mais engajados do mercado!

Comer é sua necessidade, mas não é apenas isso que você espera do lugar aonde vai. Pense nisso.

Um ótimo trabalho a todos.

emfoco

Alexandre Silva Rosa - Supervisor de Qualidade no Madero
Planejamento e coordenação de Auditorias de Qualidade, desenvolvendo equipes de inspetores, processos, escalas, viagens, seguimento das políticas, procedimentos e padrões operacionais para o controle de qualidade dos restaurantes Madero;
Análise do BI como ferramenta para tomada de decisões estratégicas;
Gestão da plataforma Checklist para a rede de restaurantes Madero, com acompanhamento de todos os processos dentro dos mais elevados padrões de qualidade, prevenção e controle de desperdício.
Responsável pelos comunicados à toda a rede de restaurantes, para o devido seguimento dos Procedimentos Padrões Operacionais Madero

 

NEKA MENNA BARRETO FAZ PROJETO EXCLUSIVO COM LC RESTAURANTES

Para o projeto Take Away, da empresa de refeições coletivas, Neka apostou num cardápio focado em alimentação 100% saudável, com produtos frescos, naturais e opções orgânicas 

A LC Restaurantes, empresa de refeições coletivas, acaba de lançar o projeto Take Away, em parceria com a Chef, nutricionista e banqueteira Neka Menna Barreto, e com sua irmã e sócia Jacque Barreto. O projeto conta com um menu assinado por Neka, elaborado exclusivamente para os clientes da LC Restaurantes.

Com foco em alimentos saudáveis, frescos, orgânicos e com ingredientes naturais, o cardápio é composto por raviolone de mussarela de búfala ao molho de tomate fresco, cuscuz de legumes com palmito, arroz negro com zuchini, cenoura e vagem, creme de abóbora com spicy, entre outros.

descrição da imagem

Segundo Jaque Barreto, tudo é feito de forma artesanal. "Todas as massas são elaboradas na hora, todos os recheios são feitos com os melhores insumos possíveis, e só usamos produtos naturais, sem conservantes, sem atmosfera modificada", completa. No conceito Take Away, é possível levar para casa uma refeição pronta, que pode ser consumida no mesmo dia ou conservada em até três meses na refrigeração.

Para Jacque, o novo serviço da LC Restaurantes é uma forma prática de garantir uma refeição saudável, mesmo com a rotina corrida. "Hoje em dia, há muitos produtos e molhos industrializados com excesso de sódio e metais pesados que prejudicam demais a saúde. A diferença de ter um produto natural e caseiro é revertida para uma melhor qualidade de vida", comenta.

Inaugurado na unidade Siemens, na Rodovia Anhanguera, o Take Away tem como objetivo incentivar os colaboradores a consumirem alimentos mais saudáveis. O próximo passo é implementar o conceito em outros clientes, tornando o Take Away um projeto itinerante, que ficará disponível nas empresas em determinados dias da semana.

emfoco

Chef, Nutricionista e banqueteira Neka Menna Barreto

Fonte: LC Restaurantes

Como o Restaurante pode Aumentar suas Vendas, Fidelizar e Atrair novos clientes.

descrição da imagem

Por Arthur Oliveira - Prosphera Educação Corporativa

Aumentar as Vendas, Atrair e Fidelizar novos clientes e consumidores, qual empresa não quer, não é mesmo?!

Sim, devem ser os objetivos básicos de qualquer empresa ou estabelecimento, quanto mais um restaurante. Objetivo este que é um desafio, ainda mais nos tempos atuais, com tantas ofertas, onde o consumidor tem acesso à informação, tecnologia, redes sociais... e busca ter uma "experiência" na compra de um produto, serviço e atendimento.

Para se destacar, podemos citar vários aspectos que devemos dar atenção: o produto ou serviço, o cardápio, um ambiente agradável, forma de comunicação e atendimento ao cliente consumidor, equipe de colaboradores bem treinada e motivada, promoções, canais de divulgação nas redes sociais, eventos, investir no bom relacionamento com o seu cliente e outros. Sabemos disso tudo mas o grande diferencial é ter e reunir as informações adequadas para criar a estratégia e plano de ação de marketing e vendas, treinar os colaboradores com os investimentos adequados que gerarão o aumento de Vendas, Atração e Fidelização dos clientes consumidores.

A nossa experiência e de nossos especialistas em centenas de empresas e restaurantes e de nossos Resultados ou Extraordinários Resultados tem nos mostrado ser isso possível quando utilizamos do conhecimento, metodologia e ferramentas para elaborar-se um plano de Marketing e Vendas baseado nas informações e avaliações de Pesquisas de Mercado, Pesquisa de clientes / consumidor, concorrentes e fornecedores, cliente oculto, análise e correta definição do custo por mercadoria vendida (CMV), ficha técnica, análise de pontos fortes e fracos, mix de produtos e serviços, análise dos processos internos e operacionais, canais de comunicação, atendimento e venda e desta forma criando o diferencial competitivo - Estratégia, onde este Plano de Ação de Marketing e Vendas será alinhado com todos os setores e departamentos da empresa / estabelecimento e aí sua execução na busca dos objetivos acima. 

Educação Corporativa para Restaurantes

1. Como Reduzir Custos e Desperdícios acima da média.
- Diagnóstico (Sem custos);
- Projeto / Proposta;
- Implementação;
- Resultados.

2. Treinamento de Liderança e Motivação
- Líderes e Gestores, Como obter o melhor de seus colaboradores;
- Lideres e equipe comprometida com os Resultados;
- Como Aumentar o Ticket médio.
- Colaboradores Produtivos, engajados e comprometidos com a empresa.

3. Como o Restaurante pode Aumentar suas Vendas, Fidelizar e Atrair novos clientes
- Pesquisa de Mercado, Clientes e Concorrência. Informações Estratégicas personalizadas;
- Criação da estratégia e Plano de ação de Marketing e Vendas;
- Implementação;
- Execução, Controle e Monitoramento dos Resultados.

Saiba mais sobre os serviços de Educação Corporativa para Restaurantes

Entre em contato conosco, que tal batermos um papo sem compromisso?
Preencha o formulário que entraremos em contato com você!

Educação Corporativa para Restaurantes

 

 

Fale com o Especialista

 

 

Facebook LinkedIn Twitter Google+ WhatsApp Email

ACONTECEU!

Edição 2018 da Fispal Food Service se consagra como a melhor dos últimos 10 anos

O maior encontro do setor de alimentação fora do lar da América Latina surpreendeu os mais de 470 expositores com os inúmeros negócios gerados.Evento reuniu uma série de atrações que garantiram a interatividade com o público presente. Visitação ultrapassou 51 mil pessoas, superando as expectativas da organização.

 Chegou ao fim a 34 ª edição do complexo Fispal Food Service, que aconteceu entre os dias 12 e 15 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo. A feira contou com diversas atrações que contribuíram ainda mais para o sucesso do evento, que se consolida ano a ano como o mais importante do setor de alimentação fora do lar da América Latina.

descrição da imagem

 

Durante quatro dias, o evento recebeu aproximadamente 52 mil pessoas de diferentes estados e países que tiveram acesso a cerca de 1500 marcas representadas pelos 473 expositores com soluções, lançamentos e inovações para restaurantes, pizzarias, lanchonetes, bares, lojistas, hotéis, distribuidores, indústria do sorvete, sorveterias, cafeteria profissional e demais estabelecimentos do mercado de food service.

Ficamos contentes em podermos agradecer a visita de importantes Profissionais e Influenciadores do Setor de Alimentação ao stand do Marketing Nutricional na Fispal Food Service 2018. Desejamos a todos muito Sucesso e esperamos que possamos cada vez estarmos próximos, levando sempre mais Notícias, Conteúdos e Informações sobre o que o Mercado de Alimentação tem para mostrar a todos que buscam estarem sempre atualizados - Acompanhem as fotos:

 

Agenda

emfoco

AGENDA 2018

Mercado de Alimentação Food Service

 

Mostre sua Feira, Evento, Curso, Congresso, para o Setor de Alimentação

Mais de 35.000 Profissionais recebem Notícias e Informações através do nosso Portal Marketing Nutricional e de nossas ações de divulgação do que irá acontecer durante o ano.

Profissionais da área da Alimentação

Nutricionistas, Chefs, Gerentes, Confeiteiros, Cozinheiros, Proprietários de Restaurantes que procuram por novidades, conhecimento e atualização, acompanhem os Cursos e Eventos para os profissionais do segmento.

Vocês poderão através de uma pequena e simples pesquisa na Agenda do Portal Marketing Nutricional conferir o que acontece no seu mercado e os Cursos . Eventos e Feiras que desejam participar.

Faça sua feira ou evento estarem mais perto de quem busca informação no setor Food Service! Faça sua divulgação com o EM FOCO Food Service Marketing Nutricional.

Curso

Formação de Auditor Interno de Análises de Perigos e Pontos Críticos de Controles (APPCC)

 

Por Nathalie Leite Sistemas de Gestão de Qualidade, Higiene e Segurança de Alimentos.

descrição da imagem

 


descrição da imagem

Sua Feira, Evento, Congresso com mais visibilidade no Food Service!

Entre em contato conosco para tomarmos um café e conversarmos

Quer saber mais!contato

Oferecimento da Seção SND Hospitalar

banner
SND Hospitalar


COMFORT FOOD NA GASTRONOMIA HOSPITALAR

Por Regina Stikan Carrijo

emfoco

Imagem divulgação - Marketing Nutricional

A gastronomia hospitalar despontou há alguns anos como uma forma diferenciada e bastante clássica para desmistificar a referência do “comida de hospital” onde naturalmente havia rejeição por parte do paciente. Surge nesse contexto como resgate de uma imagem e lembrança pouco atrativa do momento da refeição tornando-se uma surpreendente experiência.  Assim a gastronomia chegou inicialmente com “cara de hotel” apresentando receitas elaboradas, finalização de pratos glamorosos e com ingredientes diferenciados.

Mas ainda assim ouvia-se dizer que o paciente quer trazer a refeição da sua casa e não consumir a do hospital e descobrimos que essa escolha era devido a uma receita simples mas que trazia a memória o carinho e simplicidade de uma receita da vovó ou algo que lembra suas raízes ou mesmo infância. O conceito de Comfort Food traz na refeição não apenas o alimento mas  o despertar do sentimento de acolhimento e conforto tão importante no momento de fragilidade e distanciamento de sua casa.

Claro que ajustes dietéticos devem ser adotados pois hoje dispomos de alternativas mas saudáveis, técnicas dietéticas que asseguram a qualidade sensorial e garantem o atendimento a necessidade nutricional. Essa é uma missão a qual deve ser conduzida por uma equipe devidamente treinada com a sensibilidade para alcançar a expectativa do paciente mas perfeitamente possível.

Muitas vezes são cardápios com ingredientes simples e toques de temperos naturais que despertam o paladar e tornam o momento da refeição de pura satisfação.

Então é isso que buscamos cada vez mais interagir e integrar o pacientes e familiares para que as condutas tenham a máxima adesão e certamente o melhor resultado que é o restabelecimento e bem estar do paciente durante o período de internação. 


emfoco
emfoco

Regina Stikan Carrijo
Pós Graduada em Nutrição Clínica
Coordenadora de Nutrição no Hospital Santa Catarina
Possui 20 anos de experiência em Nutrição Hospitalar
Co Autora do Livro : Gastronomia Hospitalar no Conceito de Comfort Food

 

Alimento Seguro


Pesquisa encontra contaminação em 90% de saladas prontas para consumo em delivery e fast food

Estudo foi feito em Campinas no Centro Universitário UniMetrocamp Wyden. Uma única amostra apresentou mais de 1 milhão de bactérias. Nível de coliformes fecais identificado é superior ao permitido pela Anvisa.

Por Patrícia Teixeira

emfoco

Pesquisa em Campinas encontra contaminação grave em saladas de delivery e fast foods

Pedir salada delivery ou optar pelas verduras embaladas em refeições tipo fast food exige cuidado na hora de consumí-las, em busca de uma alimentação saudável. A ideia do "pronta para cosumo" esbarra no alto risco de contaminação. Uma pesquisa feita em Campinas (SP) encontrou bactérias em 90% das amostras de saladas analisadas. São micro-organismos causadores de infecções intestinais, pulmonares e até faringite.

Os testes microbiológicos foram feitos pelo Centro Universitário UniMetrocamp Wyden em saladas in natura, sendo 12 provenientes de entregas delivery e as outras oito de fast foods.
Dezoito delas continham coliformes fecais em quantidade dez vezes maior do que o tolerável pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"Saladas à base de verduras e legumes crus, temperados ou não, em molho ou não, o limite é de 100 Unidades Formadoras de Colônia (UFC) por grama ou mililitro. Deve ter total ausência de salmonella", informou o órgão federal, por nota.
Apenas duas das saladas analisadas estavam próprias para o consumo humano.

"O que surpreendeu foi a quantidade de coliformes que estavam presentes nas amostras. A Anvisa preconiza em torno de 10², ou seja, 100 [coliformes por grama]. Nós encontramos dez vezes mais. A gente quer chamar a atenção dessas pessoas que comercializam esses produtos", afirma a doutora em ciências de alimentos, bióloga, professora e coordenadora do estudo, Rosana Siqueira.

emfoco

Bactérias encontradas em saladas prontas para o consumo durante estudo em universidade de Campinas (Foto: Patrícia Teixeira/G1)

Esses alimentos já ficam submetidos ao plantio com adubos, fertilizantes e irrigação, às vezes inadequada. Por isso o cuidado em lavá-los é fundamental.

"Esse produto já chega pro comerciante numa quantidade elevada de micro-organismos. [...] Tomates, pepinos, rabanetes, que muitas vezes são consumidos com a casca, nós temos que dar maior atenção. E principalmente também as verduras, o talo, que fica muito em contato com o solo", explica.

emfoco

Saladas de delivery e fast foods foram analisadas em pesquisa de biomedicina em Campinas (Foto: Patrícia Teixeira/G1)

Bactérias do mal

A pesquisa faz parte do trabalho de conclusão de curso de graduação em biomedicina das alunas Milene Almeida, Tamires Teixeira e Jacqueline Camargo. Consumidoras de saladas, elas ficaram surpresas com os resultados.

"Nas fast foods nós fomos até os locais, pegamos essas amostras e trouxemos pra cá pra fazer a inoculação [colocar o alimento num meio específico para testar se há crescimento de micro-organismos]. A mesma coisa aconteceu com as de delivery, nós ligamos e eles trouxeram pra gente aqui", explica Milene.

Em 11 amostras também foi encontrada a Escherichia coli, principal indicativo de contaminação fecal. Esta bactéria está presente na microbiota instestinal humana e de animais, segundo as pesquisadoras.

Oportunista por prejudicar ainda mais a saúde de quem já está em uma condição debilitada, a bactéria Pseudomonas aeruginosaapresentou quantidades acima de 1,2 milhão em uma única amostra proveniente de entrega delivery.

Outra bactéria que chamou a atenção foi a Staphylococcus aureus, presente habitualmente nas fossas nasais. A ingestão dela pode provocar intoxicação alimentar. Bolores e leveduras também estavam presentes nas amostras de saladas. "Também são indicativos da falta de higienização".

"Pra pessoas imunocomprometidas, ela pode causar desde doenças gástricas até uma pneumonia. A Escherichia coli causa diarreia, náusea, febre. O Staphylococcus aureus [...] pode causar intoxicação alimentar, que é muito comum na população", alerta Jacqueline.

emfoco

Rosana e as pesquisadoras Milene, Tamires e Jacqueline durante análise de amostras
de saladas em estudo desenvolvido em Campinas (Foto: Patrícia Teixeira/G1)

Tem que lavar de novo

A saída é lavar a salada de novo. Sim, lavar tudo antes de consumir. A coordenadora ensina que a melhor substância para higienizar verduras e frutos é a água sanitária, produto acessível à população.

São 10ml de água sanitária para 1 litro de água potável, com 10 a 15 minutos de imersão. Em seguida, é importante lavar na água corrente antes do consumo.

"Se você estiver em um local que não tem essa possibilidade, tempere essa salada. Use vinagre ou um limão. Não vai dar 100% de segurança, mas já ajuda. É melhor", ensina Rosana.

Rosana lembra que a tábua usada para cortar esses alimentos também precisa ser devidamente higienizada com água sanitária, e lavada em água corrente, em seguida. O uso de luvas, máscara e touca de cabelo pelo preparador do alimento é indispensável, segundo a pesquisadora.

Quem não tiver condições de higienizar a salada pode usar vinagre e limão, que reduzem a contaminação, como tempero.

emfoco

Pesquisadora Tamires Teixeira analisa amostra de salada vendida pronta para consumo durante pesquisa em Campinas (Foto: Patrícia Teixeira/G1)

Fonte: G1 Campinas e Região


Muda fiscalização de produtos alimentícios artesanais de origem animal

Nova legislação permite comercialização em todo o Brasil e prevê a criação de selo único

emfoco

Lei 13.680, de 14 de junho de 2018, muda fiscalização e institui o selo ARTE (Foto: Divulgação/CNA)

O presidente da República, Michel Temer, sancionou, em 14 de junho, a Lei 13.680, que facilita a comercialização de produtos artesanais de origem animal em todo o Brasil. O texto foi publicado no Diário Oficial da União em 15 de junho.
 
De acordo com o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, a nova legislação vai garantir o aumento da produtividade desses produtos. "A nova lei vai beneficiar pequenos e médios produtores, criando a oportunidade de diversificação de renda e ampliação dos seus negócios. É ainda uma forma de valorizar os produtos artesanais, mercado crescente no Brasil", destacou.

No Legislativo, a CNA apoiou a aprovação da proposta do deputado federal Evair de Melo (PP-ES). A Lei 13.680, de 14 de junho de 2018, altera a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, para dispor sobre o processo de fiscalização de produtos alimentícios de origem animal produzidos de forma artesanal. A lei prevê, ainda, a criação de selo único com a indicação ARTE. No Senado, o projeto foi aprovado no dia 23 de maio.

Para o superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, a nova legislação vai impulsionar a produção de alimentos artesanais e tradicionais. “A legislação antiga era um entrave para a comercialização. A partir de hoje, os produtores de alimentos artesanais poderão vender seus produtos em todo o Brasil”, declarou.

Um dos benefícios é que lei permitirá a comercialização interestadual de produtos alimentícios produzidos de forma artesanal, com características e métodos tradicionais ou regionais próprios, boas práticas agropecuárias e de fabricação, desde que submetidos à fiscalização de órgãos de saúde pública dos Estados e do Distrito Federal. A CNA contribuirá com a construção de um decreto regulamentador que efetivamente atenda às necessidades e características específicas dos produtores rurais.

No dia 06 de junho, a CNA realizou o “Seminário Agro em Questão: alimentos artesanais e tradicionais”. No seminário, foram debatidos temas relevantes sobre a produção e acesso ao mercado, além de desafios desse setor. Foram propostas alternativas, a fim de superar os principais desafios.

Entenda

Pelas regras anteriores, os produtos artesanais de origem animal podiam ser vendidos se tivessem o selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), gerido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O texto prevê a substituição do SIF pelo selo Arte, de artesanal. O registro com o selo Arte deverá seguir regras higiênico-sanitárias e de qualidade já estabelecidas em lei.

Informações: Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Fonte: Lince Empresas

Vigilância Sanitária

 

emfoco

Dr. Êneo Alves da Silva Jr- Traz mais informações sobre as questões Sanitárias, através destas informações você pode estar atualizando-se, informando-se e fazendo um melhor controle.

 

DECRETO No - 9.013, DE 29 DE MARÇO DE 2017

Dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal.
Regulamenta a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei nº 7.889, de 23 de novembro de 1989, que dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal.

Enviado por Dr. Êneo Alves da Silva Jr - Biomédico – Microbiologista. Especialização em Microbiologia Geral e Metodologia do Ensino Superior. Mestrado e Doutorado em Microbiologia de Alimentos e Controle Higiênico-Sanitário em Serviços de Alimentação. Autor do Manual de Controle higiênico-Sanitário em Alimentos da Livraria Varela. Sócio/Diretor da CDL Central de Diagnósticos Laboratoriais

Preencha o formulário e solicite o pdf do DECRETO No - 9.013, DE 29 DE MARÇO DE 2017

 

Vigilância Sanitária

 

DECRETO No - 9.013, DE 29 DE MARÇO DE 2017

Dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal.
Regulamenta a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei nº 7.889, de 23 de novembro de 1989, que dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal.

Enviado por Dr. Êneo Alves da Silva Jr - Biomédico – Microbiologista. Especialização em Microbiologia Geral e Metodologia do Ensino Superior. Mestrado e Doutorado em Microbiologia de Alimentos e Controle Higiênico-Sanitário em Serviços de Alimentação. Autor do Manual de Controle higiênico-Sanitário em Alimentos da Livraria Varela. Sócio/Diretor da CDL Central de Diagnósticos Laboratoriais

Preencha o formulário e solicite o pdf do DECRETO No - 9.013, DE 29 DE MARÇO DE 2017

 

Conheça a nova publicação da Anvisa:

Resolução para prestação de serviços de alimentação em eventos de massa

Preencha os dados do formulário para receber o pdf da resolução

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA- RDC Nº 43

Anvisa:

O DECRETO No - 9.013, DE 29 DE MARÇO DE 2017


Preencha os dados do formulário para receber o pdf do DECRETO - 9.013, DE 29 DE MARÇO DE 2017

Vigilância Sanitária

Oferecimento da Seção

banner
Receita

 

 

descrição da imagem

 

Ingredientes

 

  • 180g de carne de novilho moida
  • Salsa picada a gosto
  • 1 colher de chá de sal
  •  

 

Misturar carne picada de novilho com salsa picada e o sal e moldar em formato redondo

 

Molho barbecue:

    – 200 gr bacon

    – 5 cebolas

    – 1 alho francês

    – 7 tomates em rama

    – 1 cálice de vinho branco

    – 1 cálice de vinho tinto

    – 120ml de whisky

    – Azeite de oliva a gosto

    – 2 litros de ketchup

    – 500ml de água

    – 50ml de vinagre

    – 100g de açúcar mascavo

    – Molho inglês a gosto

    Caramelizar em azeite o bacon, a cebola, o alho francês e o tomate por cerca de 20 minutos.  Adicionar o açúcar e  o vinho branco e deixar cozinhar por mais 10 minutos em fogo médio. Adicionar a água, o ketchup, o whisky, o vinagre, o molho inglês e o vinho tinto e deixar reduzir pela metade o volume em fogo baixo, mexendo sempre. Em seguida deve-se coar, esperar esfriar a armazenar em embalagens vedadas.

 

Picles Cebola:

    – 1 kg cebola roxa,

    – 25ml de vinagre balsâmico

    – 100 gr de açúcar

    Cortar cebola roxa em finas rodelas e levar ao fogo com azeite, até que as cebolas fiquem douradas, colocando o açúcar por cima até caramelizar em fogo baixo. Em segudia acrescentar vinagre balsâmico e deixar ferver até a cebora ficar crocante.

 

Guarnições:

    Rúcula, agrião, rodelas de tomate, queijo cheddar e bacon grelhado em tiras e um ovo frito.

 

Montagem do burger:

Em uma chapa quente, de preferência canelada, deve-se selar o hamburguer de forma que ele fique grelhado por fora e tenro por dentro (ao ponto). Quando pronto, colocar uma fatia de cheddar por cima do hambúrguer e deixar derreter um pouco. Fritar o bacon na mesma chapa até que fique crocante e sequinho e colocar sobre o cheddar

Aquecer picles de cebola com um pouco de vinagre de vinho tinto. Colocar por cima do bacon. Colocar uma dose de molho barbecue no pão. Colocar uma rodela de tomate fresco, por cima agrião e rúcula. Depois o hambúrguer com as restantes guarnições e por último um ovo frito com gema mole, cobrir com o pão e servir.

 

CR7 Burger, burger servido nos hotéis Pestana que tem Cristiano Ronaldo como sócio | Créditos: Divulgação

Facebook LinkedIn Twitter Google+ WhatsApp Email

Selo do Patrocinador

banner

OFFE

banner

Fornecedores

banner

Certificados Conteúdos - Artigos 2017

banner

Veja como Anunciar

banner

MERCADO PROFISSIONAL

banner

ENTREVISTA

banner

BLOG DOS PROFISSIONAIS

banner

Edições Anteriores - EM FOCO Food Service

banner Saiba mais...

Mantenedores

banner

Emprego

Notícias do Setor de Alimentação. Cadastre-se!

BOM SABOR

ENCHEFS 2018

O verdadeiro Frango Caipira desde a criação. Cocoricór

DIVULGAÇAO